fbpx

Como definir o melhor controle de acesso para portaria

O controle de acesso para portaria é um dos recursos mais importantes para a segurança de condomínios, edifícios corporativos e prédios residenciais.

Controlar efetivamente o acesso de veículos e de pessoas, condôminos, moradores, prestadores de serviços ou visitantes, é um desafio diário para administradores e síndicos de condomínios de apartamentos ou de empresas, escritórios e salas comerciais.

Há vários recursos de controle de acesso no mercado, disponíveis para os mais diversos padrões e perfis de imóveis.

Eles também levam em conta as suas necessidades do cotidiano, como tamanho do condomínio, quantidade de funcionários, número de pontos de acesso, volume do fluxo de pessoas e veículos, orçamento predial disponível etc.

Com tantas variáveis, nem sempre é fácil definir qual é o melhor controle de acesso para portaria.

Por isso, reunimos as principais informações sobre os métodos e tecnologias de controle de entrada e saída de edificações para ajudar na escolha.

 

controle de acesso para portaria

Objetivos do sistema de controle de acesso para portaria

Para escolher o tipo de controle de acesso que melhor atende às necessidades do local, é importante revisitar quais são os objetivos desse sistema de segurança:

  • Controle e restrição às áreas de acesso, conforme perfil de autorização (crianças, visitantes);
  • Diminuição de despesas com equipe de segurança e outros equipamentos;
  • Facilidade de acesso para pessoas autorizadas (moradores, funcionários);
  • Registro e armazenamento de informações sobre entrada e saída;
  • Cadastro de moradores, visitantes e prestadores de serviço;
  • Acesso somente de indivíduos autorizados.

Tipos de sistemas de controle de acesso

Físico

O controle de acesso pode ser físico ou lógico, dependendo dos elementos que o compõe.

O controle do fluxo de pessoas com a ajuda de itens arquitetônicos, como portas, portões, clausuras, catracas e cancelas é chamado de controle físico.

Geralmente, é constituído por uma barreira perimetral, como muro, e, pelo menos, um canal de acesso (portão), que pode ser controlado por meio mecânico (chave) ou eletrônico (fechadura eletrônica).

Esse tipo de controle de acesso exige um pouco de investimento e cuidados de manutenção e ou reposição periódica de periféricos e acessórios, bem como com treinamento das equipes de portaria e segurança.

Lógico

O controle de acesso lógico é feito com apoio de recursos tecnológicos, como smartphones, notebooks e bases de dados, entre outros. A validação das informações é feita com a ajuda de login e senha ou reconhecimento biométrico.

Esse tipo de controle de entrada e saída depende basicamente de internet e armazenagem de dados.

Visando maior segurança, é comum a implantação de sistemas integrados: físico e lógico.

 

Tecnologias para controle de acesso

Controle de acesso por cartão de proximidade

O sistema de controle de acesso por cartão magnético exige médio investimento inicial, para aquisição e instalação de equipamentos, como o leitor do cartão por RFID ou código de barras, a caixa de descarte dos cartões e os próprios cartões.

No entanto, a necessidade de reinvestimento pode ser alta, já que a perda e o esquecimento de cartões pelos usuários são frequentes. Além disso, esse sistema torna o acesso mais lento, dada à necessidade de recadastro nestas ocasiões.

Autenticação por senha

O esquecimento de senha é um fato frequente que compromete a operação e transforma o acesso em um processo mais demorado, dada à necessidade de um novo cadastro.

Além disso, a senha é um método falho de controle de acesso, já que pode ser compartilhada com terceiros, facilitando o ingresso de pessoas não autorizadas ao local.

A vantagem, porém, é justamente não precisar se preocupar com cartões e tags para entrar e sair do condomínio.

Portaria remota

A portaria remota funciona, como próprio nome diz, a distância. A equipe de segurança da empresa contratada monitoram a portaria, abrindo e fechando portões da mesma forma que porteiros presenciais o fazem.

Os optantes por esta modalidade a defendem garantindo uma redução nos custos da segurança no condomínio, já que é preciso menos funcionários fixos.

No entanto, com monitoramento por câmeras e gestão feita remotamente, a portaria remota depende da disponibilidade de comunicação com a equipe que trabalha a distância.

Ou seja, sem internet ou mediante queda de energia elétrica ela se torna vulnerável.

Biometria

Por meio de caraterísticas pessoais únicas, como reconhecimento facial, de íris, voz ou digital, o controle de acesso por biometria é o mais seguro atualmente.

Com ele, os registros de entrada e saída ficam armazenados na nuvem e o sistema emite relatórios de acesso.

Assim, é fácil e rápido localizar e ter acesso às informações importantes em casos de violação da segurança no condomínio.

Uma das vantagens é poder limitar o acesso a determinadas áreas. Se o condomínio conta com pontos de acesso biométrico em todas as áreas comuns, como piscina, academia e salão de jogos, o visitante que entrou no condomínio para ver um amigo, por exemplo, só terá acesso a este apartamento.

A digital cadastrada na entrada do condomínio não acessará as demais áreas comuns.

 

Conclusão

A definição do controle de acesso para a portaria é fundamental para garantir a segurança dos condôminos. A qualidade do sistema, em relação à eficiência e praticidade no cotidiano, é fator essencial na percepção de satisfação de condôminos, moradores e visitantes.

Como esse público se sente atualmente em relação ao sistema de controle de acesso para portaria no seu condomínio?

E você, gostou dessas dicas sobre como definir o melhor controle de acesso para a portaria?

Aproveite para compartilhar este artigo com os amigos em suas redes sociais.

Como definir o melhor controle de acesso para portaria

Deixe um comentário