fbpx

4 situações que levam à falha na segurança do condomínio

Se os moradores ou o próprio síndico constatam alguma falha na segurança do condomínio é hora de reavaliar tudo o que vem sendo feito neste sentido.

A vulnerabilidade do condomínio pode colocar em risco a segurança de quem habita e frequenta o local e, em uma escala maior, trazer complicações para o condomínio em si.

As falhas podem acontecer em várias situações, de descuido de colaboradores e moradores, à ineficácia de equipamentos.

Veja abaixo algumas situações em que podem levar à vulnerabilidade no condomínio.

 

1.      Falha na segurança do condomínio por não observância às normas

Normas e regras são essenciais para que haja boa convivência dentro de um condomínio. Geralmente, são feitas em conjunto com os condôminos durante as primeiras assembleias.

No entanto, a não observância das normas de segurança com o passar do tempo pode deixar o condomínio vulnerável e colocar em risco a integridade dos condôminos e seus bens.

Descuidos relacionados à entrada e saída de veículos, de pessoas e de prestadores de serviços são exemplos de situações que podem colocar em risco a segurança no condomínio.

Por esse motivo, é necessário que nas assembleias e nas reuniões o tema seja constantemente tratado, inclusive para eventuais revisões das normas, a fim de deixá-las mais severas.

Ou para que seja revisada também a atitude de moradores e colaboradores para não afrouxarem a guarda.

 

2.      Colaboradores ou terceiros despreparados

A terceirização de serviços de segurança em um condomínio é algo bastante comum. Contudo, muitas vezes focando apenas em baixar os custos, a comissão de segurança acaba por escolher um serviço que não corresponderá à altura do esperado.

Uma das reclamações mais comuns envolvendo falha na segurança do condomínio é o despreparo de colaboradores.

Um exemplo é o caso de porteiros que permitem a entrada de visitantes sem que o condômino seja alertado da visita. Quando o condômino percebe, o visitante já está em sua porta.

Essa é uma situação extremamente perigosa e que pode trazer sérias complicações financeiras e judiciais ao condomínio.

Partindo do princípio que uma pessoa se apresente como um prestador de serviço, mas, na verdade, possui más intenções, o condomínio poderá ser responsabilizado pelo despreparo do colaborador no caso de prejuízos morais ou materiais.

Outro problema em relação aos porteiros é a confiança e a ingenuidade em “cair” em conversas de pessoas que chegam bem vestidas e com bom papo e que logo dão um jeito de serem liberadas dos procedimentos de segurança.

Nestes casos, é comum ouvir depois de alguma ocorrência o porteiro dizer: “mas era uma pessoa bem vestida, muito gentil e educada. Jamais desconfiaria de que se tratava de um ladrão”. Só que, neste caso, já pode ser tarde demais.

O que deve ficar claro é que procedimentos existem para segurem cumpridos, independentemente, da “cara” do pseudo visitante ou prestador de serviço.

 

falha na segurança do condomínio

3.      Investimento insuficiente em equipamentos

Mais uma vez, com o objetivo de manter os custos operacionais do condomínio baixos, o investimento dedicado a segurança é insuficiente.

Pequenos detalhes fazem grandes diferenças quando o assunto é falha na segurança do condomínio. Os requisitos básicos para se manter o mínimo de segurança são:

 

  • Portão com clausura na garagem e entrada/saída de pedestres;
  • Passa-volumes nos portões de pedestres;
  • Muros com altura mínima de 3,5 metros;
  • Guarita blindada com banheiro interno.

 

A partir daí, a instalação de sistema de controle de acesso biométrico, alarmes com acionamento remoto, monitoramento em vídeo, por exemplo, são atitudes a mais que vão garantir maior segurança e conforto a todos.

Mas é preciso um estudo minucioso do equipamento e da solução que está sendo contratada. Como em praticamente todos os serviços e produtos, não existe milagre. Se o preço é muito inferior ao praticado no mercado, é preciso desconfiar.

Também não se deixe impressionar por apresentações em power point com gráficos e depoimentos escritos ou até mesmo demonstrações pontuais do funcionamento de alguns equipamentos.

Nem sempre o que a empresa vai apresentar em uma assembleia, por exemplo, poderá ser o mesmo equipamento instalado depois. Assim como os depoimentos validando a solução podem ser falsos.

Peça referências, vá a locais onde as soluções oferecidas já foram instaladas, converse com outros síndicos e moradores, sonde a idoneidade da empresa no mercado e só feche a compra depois de absoluta certeza.

 

 

4.      Descuido com o entorno do condomínio

A segurança é uma preocupação geral das grandes cidades. Isso é fato. Mesmo que o condomínio tenha todo o aparato para assegurar o bem-estar físico e material de seus condôminos, manter um olhar crítico e realista à situação do bairro é uma atitude prudente.

O ambiente em que o condomínio se encontra – próximo a comunidades e outros pontos de maior risco – deve ser levado em consideração no momento de planejar o sistema de segurança.

Se for uma área de extremo risco ou de histórico de ocorrências muito alto, talvez seja necessário uma solução de proteção ainda maior, assim como maior conscientização dos moradores e colaboradores quanto às normas que devem seguir.

Alguns condomínios em bairros ou ruas mais visadas acabam se juntando em conselhos de segurança, com ações comuns de proteção, como grupos de WhatsApp e reuniões frequentes entre todos, para aumentar o nível de eficácia no combate aos mal intencionados.

 

 Conclusão

A prevenção é, ainda, a melhor medida para manter condomínio seguro. Sendo assim, implantar medidas de conscientização de condôminos e colaboradores pode garantir o sucesso de qualquer plano de segurança.

 

Fique sempre de olho na portaria e em todos os pontos onde houver controle de acesso para saber se não está havendo falhas. Faça você mesmo, como morador ou síndico, testes com os porteiros para ver se estão atentos.

Em qualquer sinal de falhas na segurança do condomínio, avise imediatamente os responsáveis, reavalie as soluções adotadas.

Assim, estará contribuindo para a segurança de todos.

Se gostou deste artigo e se acha que pode ser útil para o seu condomínio ou de amigos que moram em outros locais, compartilhe-o em suas redes sociais ou por e-mail.

4 situações que levam à falha na segurança do condomínio

Deixe um comentário