fbpx

Porteiro de condomínio: quais as suas reais funções?

O porteiro de condomínio é um dos profissionais indispensáveis para o bom funcionamento de qualquer condomínio, seja ele residencial ou comercial.

Sem esse profissional, tanto a organização quanto a segurança do condomínio, de suas dependências físicas e seus moradores, ficariam comprometidas.

Nesse artigo você vai entender mais sobre a função de porteiro, a importância de seu trabalho para o condomínio, além de outras informações que precisam ser consideradas para contratar um bom profissional.

 

Qual é a real função do porteiro de condomínio?

O porteiro de condomínio tem diversas funções que ficam sob sua responsabilidade e supervisão.

Veja as suas principais atribuições:

Controle de acesso

Está entre as principais funções do porteiro está a de monitorar entradas e saídas de moradores, visitantes e prestadores de serviço.

Esse controle deve ser feito por meio de uma lista de identificação, que deve ser preenchida por todas as pessoas que acessam as dependências do condomínio.

Mesmo pessoas que visitam o local com frequência devem se identificar e preencher o controle de entrada e saída.

Quando se tem controle de acesso biométrico, o preenchimento dos dados é feita uma vez. Depois, o visitante só precisa se identificar e informar onde quer ir e, após autorização do porteiro, pode abrir portas usando as digitais e  um sistema de clausula, por exemplo.

Correspondências e entregas

Outra função importante do porteiro no condomínio é referente às correspondências e entregas.

Pacotes, correspondências comuns e outros tipos de entrega chegam a todo momento, e é função do porteiro cuidar de toda essa distribuição.

Essa função precisa ser exercida pelo porteiro no condomínio com muita atenção, afinal a segurança de todos os moradores pode ser colocada em risco.

Por isso, a principal recomendação é que o porteiro sempre solicite aos moradores que busquem suas encomendas na portaria.

Assim, evita-se que pessoas desconhecidas tenham livre acesso ao interior do condomínio.

O que um porteiro de condomínio não pode fazer?

Esse é um ponto delicado na relação entre porteiros e condôminos, uma vez que é muito comum que ambos acabem misturando as coisas.

Dessa forma, é importante que o porteiro tenha uma boa relação com os moradores, mas é preciso tomar cuidado com os limites.

Muitos moradores acabam pedindo pequenos favores, como manobrar um carro no estacionamento, ou ajudar a carregar algumas compras.

Quando isso acontece esporadicamente, tudo bem.

O problema é quando isso vira uma constante, e acaba atrapalhando no desempenho da verdadeira função do porteiro no condomínio.

Um porteiro profissional deve sempre tratar todos os moradores com educação e respeito, mas sempre priorizando suas verdadeiras atribuições.

O porteiro é responsável pela segurança do condomínio?

Assaltos e invasões em condomínios residenciais são cada vez mais comuns, e o porteiro pode ser fundamental para evitar esse tipo de crime.

Mesmo não sendo um segurança do condomínio, o porteiro precisa zelar pela segurança das instalações e, principalmente, dos moradores.

Isso faz com que o processo de contratação desse profissional fique cada vez mais exigente.

Atualmente, é muito comum que o porteiro tenha que passar por uma série de treinamentos após ser contratado, embora não seja necessariamente um pré-requisito para o exercício da função.

Esses treinamentos podem incluir simulações de situações de perigo e abordagens suspeitas, entre outros.

Afinal de contas, é fundamental que o profissional seja capaz de perceber atitudes suspeitas e saiba que providências deverá tomar nessas situações.

Também é de essencial que o porteiro conheça todos os procedimentos de segurança referentes à entrada e saída de moradores e visitantes e faça com que todos estejam cientes da importância de seguir esses procedimentos.

Mas cabe ressaltar que o porteiro não tem função de vigilante, que é mais voltada à proteção do patrimônio e das pessoas, inclusive podendo portar arma de fogo.

 

Como contratar um bom porteiro?

Considerando o grau de responsabilidade desse profissional, escolher um candidato exige muita atenção.

Considere essas dicas para não errar:

  • Defina o perfil do profissional: cada condomínio possui suas características e peculiaridades, então é preciso escolher uma pessoa que tenha um perfil que seja compatível.
  • Verifique com atenção os antecedentes e o histórico de cada um dos candidatos. Afinal, você não quer colocar uma pessoa despreparada para tomar conta do seu condomínio.
  • Faça testes: testes lógicos, psicotécnicos e psicológicos são importantes para detectar desvios que podem comprometer o exercício da função.
  • Prepare-se bem para a entrevista: faça um bom planejamento do que vai perguntar, os assuntos que serão abordados, e as respostas que gostaria de ouvir.
  • Divulgue a vaga corretamente: escolher os canais certos pode ajudar a trazer candidatos mais qualificados para o processo, o que pode facilitar muito a sua escolha.
  • Escolha os melhores candidatos, sem preconceitos: esqueça fatores como cor, idade ou gênero e concentre-se apenas em contratar o profissional mais qualificado para a função.
  • Leve em consideração cursos e treinamentos que o candidato já possua. Isso demonstra interesse e preocupação em se capacitar para exercer o cargo

Considerações finais

Entre todos os profissionais que trabalham num condomínio, sem dúvida alguma o porteiro é aquele que funciona como cartão de visita.

Afinal, é com ele o primeiro contato de todos que chegam ao condomínio – e a última impressão daqueles que saem.

Dessa maneira, é importante considerar também a educação e a postura da pessoa que será designada para o cargo.

Funções que exigem contato direto com o público exigem também que o indivíduo que a exerce tenha a desenvoltura necessária para lidar com os mais diversos tipos de situação.

Contar com um bom porteiro é um excelente ponto de partida para boa convivência no condomínio.

 

Porteiro de condomínio: quais as suas reais funções?

Deixe uma resposta